Menu Fechar

No dia 11 de novembro passado, na reunião da Assembleia de nossa Federação, celebrada na cidade de Guayaquil, sede do XII Congresso Ibero-americano de Engenharia Mecânica, fui eleito Presidente devido a que o Professor Mariano Artés Gómez concluiu seu segundo mandato à frente da Federação sem possibilidade de reeleição, ao não estar contemplado nos estatutos da nossa organização a possibilidade de um terceiro mandato. Minhas primeiras palavras nesta saudação a todos os sócios são para agradecer ao professor Artés sua generosa e brilhante trajetória nestes últimos oito anos, durante os quais a Federação cresceu, consolidou as atividades iniciadas nos períodos anteriores, conduzidas de maneira igualmente brilhante pelo Professor Alba Juez e pôs em marcha outras novas. Em segundo lugar devo agradecer aos sócios presentes na citada reunião da Assembleia a confiança que depositaram em mim ao eleger-me Presidente e que confio não defraudar.

Nos 22 anos transcorridos desde a celebração do primeiro congresso, a Federação apresenta um balanço muito positivo em relação ao conjunto de atividades desenvolvidas. O congresso, que constitui um ponto de encontro entre docentes, pesquisadores e profissionais da Engenharia Mecânica da Região Ibero-americana, percorreu os principais países da mão de prestigiosas instituições universitárias. A Revista Iberoamericana de Ingeniería Mecánica manteve durante todos esses anos uma trajetória brilhante baseada tanto na continuidade como na qualidade dos trabalhos publicados, ambas características a fazem merecedora da indexação, meta que deveríamos alcançar nos próximos anos, com a ajuda de todos. O restante de atividades: prêmios, distinções, comissões técnicas e outras, desenvolveram-se de forma muito satisfatória.

Contudo, toda organização com vocação de continuidade deve revisar permanentemente seus objetivos e estratégias para adaptá-los às condições variáveis da sociedade na qual se desenvolve. Em relação aos países da Região Ibero-americana, vivemos uma época de enorme interesse, desde nosso ponto de vista, já que as universidades estão vivendo intensos processos de mudança nos quais a pesquisa, os programas de doutorado, as exigências de resultados científicos de qualidade, os processos de avaliação de professores e instituições, estão nos fundamentos de ditos processos de mudança. Junto a isso, o fenômeno da globalização afeta de diferentes maneiras, uma delas é a competitividade dos setores produtivos que exigem das instituições universitárias uma maior implicação com as empresas por meio de programas eficientes de inovação tecnológica. A Engenharia Mecânica é um dos ramos da engenharia que aporta soluções mais amplas aos problemas enumerados e a Federación Iberoamericana de Ingeniería Mecánica, como instituição madura e dinâmica pode e deve ser um catalisador e uma plataforma que ajude a resolvê-los por meio de canais de relação, formação e cooperação que oferece na atualidade e os que deverá desenvolver num futuro próximo.

Encaro com entusiasmo os desafios que apresenta a presidência da Federação numa etapa tão estimulante, em breve iremos propondo novos âmbitos de atuação que colaborem com o progresso de nossas instituições e países ante os problemas enunciados; desde esta breve apresentação eu peço a colaboração de todos que hoje são sócios e encorajo outros, que ainda não o são a unir-se a nós.Com os melhores cumprimentos

Prof. Dr. Ing. Francisco Aparicio Izquierdo
Presidente de FEIBIM